INQUÉRITO!!!

Um pouquinho do seu tempo, posso?

Responda a esta pergunta sobre o que gosta de ler neste blog, aqui:


OBRIGADA!!

terça-feira, 31 de julho de 2012

{Dia 212}

Sorria!

À prova de bala

Mais uma de todas as alturas em que valorizo à brava este homem que me calhou na rifa: quando preciso de usar uma pulseira com presilha e a sacaninha não está propriamente a cooperar.
Uma palavra, um pedido, dois passos, e o meu homem apertou a pulseira.
Estou pronta para sair.

É que eu lembro-me bem do dia em que rebentei a chorar por não ter quem me apertasse a sacana da pulseira. Eu sozinha no quarto, às voltas com aquilo, atrasada, olhava à minha volta e toda eu era solteira. Foi uma cena patética, eu não tinha quem me apertasse a pulseira. Chorei. Antes muerta que sencilla, e que derrotada muito menos, chorei enquanto apertava a sacana da pulseira e consegui, mas perdi o dobro do tempo, o triplo, uma vida.

Nestas ridículas pequenas coisas se centra o bom do amor: além de nos alimentar a alma, nos facilita a vida, faz do nosso mundo um jogo de equipa em vez de uma maratona solitária. Eu sou mais eu e sou muito bem eu sozinha, mas o meu eu bem acompanhada é melhor. E mais produtivo.

Pelo sim pelo não, aqui ficam algumas sugestões de pulseiras bem giras à prova de desgostos de amor:

 Lanidor
 Massimo Dutti

 Hermès

Cinco
 Promod
Stradivarius


{Dia 211}

segunda-feira, 30 de julho de 2012

Ainda hoje


O miúdo estava possuído no super.
Mas também, quem nos mandou levar um miúdo de quase dois anos, às sete da tarde, ao super-mercado? Claro que ele não aguentou mais de cinco minutos no assento do carrinho das compras. Passou de lá para o carrinho, depois para o chão, depois para as prateleiras dos livros, depois para os corredores a correr, depois para os corredores a gritar e depois para o átrio a chorar. Felizmente nessa altura já estávamos à espera do elevador para sair.
E lá andava eu a encher o carrinho das compras e ele a gerir a nossa inconveniência portátil.

E se às vezes temos de gerir mesmo a inconveniência que o comportamento destrambelhado dele pode ser para os outros ou para nós próprios, outras vezes temos de nos sujeitar a uma cena em público, porque lá está, estamos a criar um ser humano e isso faz-se dentro de casa e muito também fora.

Pedimos desculpa por qualquer inconveniência. Prometemos ser breves.
O mais breves possível.
Um par de anitos?


Atrevidota

Tu sabes que te estás a esticar um bocado nisto de o miúdo estar "tão cresciiiido" quando te propões ir a um batizado sem carrinho, sem fraldas e sem chapéu.
O chapéu foi improvisado no último minuto, mesmo antes de sair. As fraldas ficaram na mochila que vá lá, tinha uma muda de roupa. Mochila essa inteira que ficou esquecida em casa. O carrinho, nem nos passou pela cabeça. É que nem nos passou pela cabeça!

Claro está que, ao chegarmos e vermos todos os carrinhos que por lá se passeavam, demos pela falta do nosso. Mesmo porque o Pedro não tinha dormido a sesta da tarde e claro que aterrou em dez minutos de carro. Tinha-nos valido o mundo! Valeu-nos o carrinho do anfitrião (mais uma vez, obrigada!), valeu-nos o Pedro ter acordado logo e liberado o carrinho. Menos mal.

A falta da mochila também foi detectada à chegada. Mas como a atrevidota estava in the house, convenci-me que em três horas não viria mal ao mundo, ele já tinha feito dois number twos, não vinha um terceiro. Não nas três horas seguintes...

Atrevidota... Claro que veio! Nós sem fraldas, ele MESMO a precisar mudar, um cheirete a rosas. Vá lá que não faltava muito para voltarmos, vá lá que foi uma coisita pouca, foi mais a ameaça e a miúfa que a bomba.

É que ele pode ter 14 kg, pode estar espigadote, mas ainda é um baby, o meu baby. Em resumo, ontem podia ter sido trágico, mas lá nos safámos...

domingo, 29 de julho de 2012

{Dia 209}



Ontem

Detox



Começou com o "não". Ai que palavra tão fácil de dizer, tão bonita, tão bem torneadinha. Eu compreendo perfeitamente que ele goste muito de a usar, é uma palavra curta, redondinha, até dá gosto dizê-la: nnããõo.
Mas já não é tão boa de ouvir. Isso não.
O problema é que "não" é a sua resposta por default. Todas as respostas são não, até que ele pensa um pouco e lá me dá a resposta definitiva. Que muitas vezes é...
não.
Por acaso, a forma como ele a diz é castiça, na sua voz fininha de falsete, "nhão". E baixa o queixo e franze o sobrolho. Com variantes muito giras, entre compassos de espera, "nhão" muito rápidos e "humm... nhão".
Eu rio por dentro e respondo "Xim xim".

Depois veio o "quero". Dito ainda não, mas bem transmitido: quer o livro do Rato Renato, agora já quer o do Coelho Martim, depois o do Pedrito Coelho, depois o "Kuti" do coração. Quero comer sozinho, quero o Alfa no podI, quero água, quero o cão Marron, quero a mãe, quero o pai. Às vezes fica contente, outras vezes fica irado, às vezes não era nada disso, mas eu não sei o que seja, às vezes duvido que ele saiba.

E a combinação infernal "não + quero"? Brutal. Essa agora tem muita saída, ele não perde uma oportunidade. Não quero comer, não quero ir para o banho, não quero ir para casa, não quero deixar de ver o Panda.

O raio do Panda.
Esta minha criança só passou a ver televisão a sério há pouco tempo. Nem eu sei bem como, ele não via o Panda, só há alguns meses conheci o Cavaleiro Mike, as novas versões do Babar e do menino Nicolau, o Figuito (????), o Cid Ciência. Não entravam na nossa programação habitual. Agora sim.
E se por um lado sabe bem o miúdo acalmar com um pouco de TV, mesmo porque posso tratar de outras coisas entretanto, por outro lado incomoda-me um pouco que fique tão vidrado naquilo. Vidrado. Zombie.
E poderia estar horas em frente à TV, apenas se levantando de vez em quando para a desligar e ligar ou procurar o comando para carregar nos botões, procurando em vão o Ruca, o Alfa ou o Uki.
Pior. Agora está viciadíssimo. Só quer Panda, só pede Panda. Acorda a pedir o Panda. Foge de todo o lado para ir ver o Panda. Anda completamente obcecado. Se o tiramos da frente do Panda chora, esperneia, fica do mais ofendido.

Está na hora de fazermos uma detox de Panda. Oh mundo cruel, no que eu me vou meter!

sábado, 28 de julho de 2012

O meu pequenino


Maravilhas da Semana



Todas as semanas vou tentar trazer aqui cinco dos posts que mais gostei de ler ao longo da semana, ou que vale a pena voltar a ler com mais calma, ou que mais marcaram a semana que passou. Claro que comecei logo a quebrar as regras, lá entra mais um...

São boas leituras de fim-de-semana!

O primeiro dia na creche de um pequenito - A Cup of Jo

 40 semanas em menos de um minuto - Redonda ou Quadrada

A quarta parte de um conto que já é uma lição de vida - Diário de uma mãe solteira

DIY mas com calma! - Família de 3 e 1/2

Vi uma ao vivo esta semana e são tão giras! - Coco's Tea Party

Ótimas dicas sobre menus mensais (para quando, sua destrambelhada??) - A Dona de Casa Perfeita


E aqui fica um post destas Maravilhas:
 http://maravilhasmaternidade.blogspot.pt/2012/07/cor-instantanea.html

Bom fim-de-semana!

sexta-feira, 27 de julho de 2012

E agora...



Let the games begin!

{Dia 208}

Mais goodies para a nossa parede. Andamos tão malucos com as molduras que até os sacos se rasgam!

Cry baby



O Pedro sempre foi um bebé muito bem disposto, que vai para todos os colos, que se mete com todas as pessoas, aventureiro, mesmo quando tem medo de algo a curiosidade fala mais alto e sempre foi muito confiante.
No colégio sempre correu tudo muito bem, adora as educadoras, os colegas, todo o staff e as actividades.
O facto de ter começado a ir para a creche com um ano de idade seguramente ajudou, porque ele não se ralava com nada, desde que houvesse carinho e diversão, ele ia com alegria.
Mas claro que há alguns meses começou a ficar mais consciente de quem o rodeia e a reagir de forma diferente às pessoas. Nós já sabemos como é: ele adora mulheres, tem receio de pessoas muito velhinhas (não vai para o colo da bisavó mais velhinha por nada, é uma pena...) e tem cada vez mais desconfiança de homens, se tiverem barba então, não descola de nós... Mas acho que tudo isso é natural, até ficámos descansados com essa evolução, mal seria se ele não desconfiasse de pessoas que mal conhece...

Mas há outra fase perfeitamente natural que também está a chegar e que nos vai atingir em força no final deste Verão... o não querer ir para a escola.
De há uns tempos para cá, de vez em quando o Pedro faz fita para ficar no colégio.
Sai de casa muito contente, chega lá bem disposto, senta-se no chão pelo caminho da sala, chega à sala agarrado às pernas e fica com a educadora em prantos. É uma fita. E a cada passo eu vejo a minha vida a andar para trás e ele a ficar cada vez mais aflito. Claro que as educadoras garantem que passa logo e acredito que sim, mas custa dizer adeus e vir embora com ele a chorar...
E a verdade é que esses episódios estão a ser cada vez mais frequentes.
Faz parte dos "terríveis dois", não é?
Malvados dois.
Apesar de o colégio estar aberto todo o ano, ainda assim o Pedro vai passar mais de três semanas longe do colégio. Entre a nossa casa, as férias, os avós, vão ser muitos dias sem ir à escola...
Até tremo! Quando ele voltar vamos ter um drama de faca e alguidar todos os dias. Todos os dias.
A educadora vai ser a mesma (e nós adoramo-la!), os coleguinhas também. Mas eu sinto na minha garganta (a minha garganta tem dotes sibilinos, fica seca e apertada quando adivinha que as coisas vão correr de lado) que isso não vai interessar nada e que vai ser O drama.

Vamos curtir muito as férias, mas pelo sim pelo não, vou já pôr o capacete de lado.
O caminho vai estar cheio de buracos e eu vou cair em todos eles!

quinta-feira, 26 de julho de 2012

Wall of Our Fame: Furar

Depois de feito o primeiro e até ver único furo...


... e que bem feitinho foi feito pelo meu handyman! Uma jóia, este marido!

Dizia eu, depois de feito o primeiro furo, tínhamos que alinhar todos os outros quadros em relação a este quadro. Mas o grande problema foi, como pregar os quadros e garantir que eles ficassem alinhados? É que a margem do quadro ficava alguns centímetros acima da pega do quadro e eu não tinha como o alinhar e medições de régua e esquadro... É uma cena que não nos assiste.

Eis senão que antes estar muerta que sencilla veio salvar a bricolage! Pois que saquei de uma paleta de batons, pincelei com uma pontinha de baton generosa a ponta da pega, alinhei o quadro onde o queria, literalmente carimbei a parede e voilá, tinha o meu ponto de prego marcado!



 Depois foi só pregar e resultou em cheio!! JURO

Agora já temos alguns quadros pendurados e mais alguns novinhos em folha, por pendurar. As fotografias fresquinhas da impressão, chegam apenas na Segunda-feira... Ohhh

AS MARAVILHAS DA MATERNIDADE

Giveaway As Marvilhas da Maternidade & Salpicos de Amor

Já temos uma vencedora!!

Mas antes de anunciar, queremos agradecer as 98 participações que contámos, o vosso entusiasmo, adesão e o sucesso em que vocês tornaram este passatempo!

Muito obrigada!

E aqui fica a grande vencedora!


Agora basta entrar em contacto com a Salpicos de Amor através de mensagem privada e criar o quadrinho personalizado. Depois quero ver o resultado!

Mais uma vez obrigada pela vossa participação!

Branco, azul, amarelo

 Vi este quarto para rapaz aqui e achei-o muito amoroso, pela simplicidade, luminosidade e suavidade.
O branco, conjugado com o azul, tão habitual para rapaz, mas com uns toques de amarelo alegre, fica um mimo para bebé e transiciona muito bem para quarto de menino. Basta trocar o berço, tudo o mais é delicado sem ser "bebé puro".

ADOREI







quarta-feira, 25 de julho de 2012

{Dia 207}

Que vvóóóónito, a fazer pendant...

Paraty


A minha carteira de sonho é uma Paraty da Chloé.
Eu até sou uma rapariga modesta, não desejo uma 5.5 da Chanel ou uma Birkin, uma Paraty sim e eu nunca mais precisava de comprar outra carteira na minha vida!
Talvez mais tarde precisasse de uma Balenciaga, mas isso agora não interessa nada!
 Está visto que eu gosto de carteiras médias/grandes, maleáveis, descontraídas e com um toque rock, hum...

Anyway, enquanto estes caprichos não me caem no bracinho, espero por esta pequena maravilha, na cor, tamanho e formas ideais... Mal posso esperar pelo correio!
Carteira Uterque
Vale a pena espreitar os seus saldos, estão do mais apatecível!!

terça-feira, 24 de julho de 2012

{Dia 206}

Feast, sempre o Feast.

Continuamos em obras


Cor instantânea

Pronto, está bem. Já vimos que este Verão não vamos longe.
O que fazer com este tempo horrorosamente sem sal e calor que não nos deixa ganhar como deve ser aquela cor que dá aquele ar verão que tanta falta nos faz? Então se tivermos na agenda uma ocasião especial na qual temos de estar nos trinques ou quando queremos simplesmente usar uma saia e as nossas pernas estão uma desolação, o que fazer?
Ora, tratarmos de arranjar o bronze por portas travessas. Para dar uma cor instantânea às pernas e em ocasiões especiais também a braços e ombros (nada como ombros morenos...), tão instantânea que nem passa por recorrer a solários (credo, já nem se devia usar) ou à chatice dos autobronzeadores (o cheiro, o tom, as possíveis manchas), basta pintar a pele, literalmente.

Não falo aqui em bases de cobertura média ou forte para o corpo (há quem use, principalmente para disfarçar manchas, derrames, poros escuros ou má circulação), mas só em toques de brilho, de bronze, de cor. E a variedade é imensa, há uma opção para cada gosto ou necessidade.

The Body Shop Honey Bronze Shimmering Dry Oil
Nuxe Huile Prodigieuse Or
 Sephora Huile Divine Pailletée,
Corine de Farme Óleo Sublimador do Bronzeado

Desde logo, temos os óleos nacarados com brilhos, que não só hidratam a pele e dão brilho, como dão um toque de bronze que mal se nota quando bem espalhado, mas faz milagres para complementar um bronze fraquinho. Pessoalmente são os meus preferidos para o dia a dia porque hidratam e são fáceis de aplicar.

L'Oréal Paris Glam BronzeMicro-Fine Spray; Sephora Tinted Self-Taning Body Mist

Sobretudo para uma ocasião especial (adoro usar nos ombros, braços e pernas quando quero dar um toque a mais que dure horas), os sprays com cor são do melhor. São autênticos fond de teint para o corpo. Um toque aqui, um toque ali, espalhar bem e já está. Basta ter cuidado na aplicação para não manchar a roupa ou aplicar demasiado. Como estes sprays são especialmente formulados para o corpo secam muito rapidamente, não desaparecem o fim de umas horas e não borratam.


Clinique Self Sun;  L'Oréal Paris Sublime Bronze One Day;
A mesma ideia de base para o corpo, mas versão loção. São especialmente indicadas para as pernas, para quem prefere uma versão creme em vez de spray.


 Lancôme Star Bronzer Powder Brush, Honey Bronze Brillance Powder
Também podemos dar um toque de brilho e cor ao decote, sobretudo para fazer bem a ligação com o rosto. Em geral, para mim basta aplicar o bronzer do rosto no decote, mas se se quiser dar um brilho, o ideal é usar estes pós com pincel integrado, são muito práticos. Mas por favor, há que ser parcimoniosa na sua aplicação e não passar do decote para o rosto, senão corre-se o risco de parecer que um frasco de purpurina se abateu sobre nós!

Michael Kors Leg Shine

Há outras formas mais originais e rebuscadas de aplicação do bronze instantâneo, sendo o efeito sempre o mesmo. Em barra por exemplo, é super original e prático, pode-se levar na carteira sem o menor problema, basta literalmente barrar  e já está!

Está visto que, querendo, ficamos morenas num instante e sem grandes trabalhos. E bem ou mal, sai tudo com o banho!

segunda-feira, 23 de julho de 2012

{Dia 205}

Wall of Our Fame II - os materiais


Ora, agora que já estamos em plena montagem e até já temos os primeiros quadros montados, vamos por partes mostrar a nossa odisseia para chegar à nossa wall.
A Suzana pediu para mostrar os tais "amigos dos vizinhos", os preguinhos que não abusam dos tímpanos dos que nos rodeiam e das nossas paredes queridas.
Então, aqui fica todo o material de que nos rodeámos até agora.


Para o único furo a sério que fizemos, de bucha e parafuso, usámos os parafusos de uma caixa de parafusos muito jeitosa que comprámos no IKEA,que tem vários tamanhos de parafusos e respectivas buchas. Também temos a caixa básica de ferramentas. Ambos os kits foram muito baratos e o material é de qualidade, pelo menos para estes nossos pequenos projectos serve perfeitamente. Tudo o que tivemos de pendurar até hoje, não caiu! E o quadro grande que tínhamos para pendurar e que serve de ponto de referência ao alinhamento de todos os demais já está muito bem postinho na parede, até ver! Vá lá...

 Para os outros quadros mais pequenos, temos então à escolha as fitas adesivas mega fortes (gabam-se elas, eu aqui estarei para ver...) e os tais preguinhos amigos dos vizinhos (ou também do senhorio, depende da situação do imóvel, não é?). Temos fitas da Tesa, da Tack e ainda uma Jurasstic (sic) High Bond Tape (dizem eles "For the most monstrous jobs since time began - double sided monster strenght! - gaba-te cesto! É isso mesmo que eu quero, uma fita com força monstruosa, vamos a isso!) Até agora usei esta fita para garantir que um armário pequeno ficasse seguro encostado a uma parede e aquilo não abana um nanomilímetro!
De qualquer forma, para esta parede, por forma a preservar a pintura , acho que vamos dar para já preferência aos tais preguinhos, no centro da imagem e aqui em baixo, em pormenor.


Pois então que são estes os tais preguinhos: estes são da Colis, era o que havia no super. Queria ter encontrado uns com base maior e três preguinhos que nos foram recomendados na página do FB, mas não vi, trouxe estes. Para quem não os conhecia, são compostos por uma base em plástico e um preguinho, segue-se as instruções da figura e a Colis garante que, dependendo da parede (whatever that means...) aguenta até 14 kg. Aguentará os 873 gramas que pesa o mais pesado dos quadros?
Sim, eu pesei-os.

Até ver, sim!

É hoje!



Que vamos pôr a mão na massa e entre muitas outras coisas, tratar de pendurar esta salgalhada de recordações e bons momentos das nossas vidas!

Para já, decidimos  pendurar com furo, porca e parafuso (the works!) o quadro maior e um ou outro quadro médio, ainda temos de decidir... Vai ser bonito. Os restantes vão levar os pregos com base - os maravilhosamente denominados "amigos dos vizinhos" - ou fita adesiva super forte. Eu inclino-me mais para os "amigos do vizinho", mas vamos vendo, principalmente com a apreciação in loco do meu handyman, o nosso pater familias.
Aqui deixo novamente algumas das imagens que nos serviram de inspiração, motivação e esquema, elas que me inspirem hoje novamente, que bem vamos precisar!







domingo, 22 de julho de 2012

{Dia 204}


Daydreaming

O Pedro chegou a casa tão fabulosamente estoirado do fim-de-semana que, pela primeira vez, não acordou quando o levámos do carro para a caminha.
Este Verão vai ser o demónio!
Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...