INQUÉRITO!!!

Um pouquinho do seu tempo, posso?

Responda a esta pergunta sobre o que gosta de ler neste blog, aqui:


OBRIGADA!!

sexta-feira, 30 de abril de 2010

Constatações

Por cima do meu gabinete vive uma pessoa que toca flauta transversal. Volta e meia, lá pelo fim da tarde, quando eu já estava bem cansada, de repente ouvia ao longe, levemente, a pessoa a treinar escalas e a tocar peças maravilhosas. Eu parava por um segundo, olhava para o meu tecto, pensava "Música...", suspirava e voltava à minha vidinha.

De há uns tempos para cá deixei de ouvir a flauta. Passei a ouvir, de manhã, à tarde, de vez em quando, mas todos os dias, ao longe, compassadamente, um bebé a chorar, aquele choro recém-nascido "nhé-nhé-nhé". Eu paro por um segundo, olho para o meu tecto, engulo em seco e volto à minha vidinha.

Parece-me impossível voltar a ouvir a flauta transversal antes de eu própria incorporar no meu dia-a-dia o choro da minha cria a chamar por mim, porque só eu lhe posso valer e ela ainda não sabe articular num tom com mínima urbanidade "quero comer", "já fiz", "tenho calor", "dói-me imenso a barriga".

Espero voltar a ouvir a flauta, nem que seja bem depois de eu própria voltar a passar horas seguidas no meu gabinete. Assim eu poderei olhar para o meu tecto e pensar: "Cá estamos na nossa vidinha..."

sábado, 24 de abril de 2010

Dores

Afinal o tempo sempre permitiu um passeio e lanche à beira-mar. O jornal, a brisa e um solinho bom, do melhor.
No entanto, queria eu caminhar com gosto para desentorpecer as pernas, quando a minha dor ciática resolveu atacar em força. Zing, em plena nádega, dor bem profunda, a cada passo, com a infeliz consequência da minha mão a massajar in loco mas em vão... A imagem não é sexy, garanto. Andava eu a lamuriar-me quando finalmente o infeliz do meu marido resolveu dar a sua recomendação médica: "Olha que os saltos não ajudam nada..." "Que saltos? Os quatro centímetros dos meus botins?" Pois, parece que sim... Ora bolas, veio tarde a solução, pelo menos para esta caminhada. Olhando em volta, passeávamos sozinhos pela ciclovia, com pessoínhas esporádicas de passagem ao largo. Não foi tarde nem cedo, descalcei-me ali mesmo, fiquei em meias a caminhar na ciclovia. E melhorei. Não muito, mas melhorei! Linda figura, de botins na mão e meias azuis às riscas. Afinal sempre tivemos Sol e caminhada, mas a custo.
O que me deixa descaroçoada no meio disto tudo: a sentença aos saltos de pelo menos cinco meses de armário, sem recurso. Mas prometo, algumas saídas precárias. Antes muerta que sencilla!

Trapos

Ando a folhear o catálogo da Vertbaudet e gosto, que gosto! Já conhecia a marca através da internet, mas nada como ter o catálogo a passear pelas mãos para ficar com as ideias arrumadas.
Roupas simples, moderninhas mas não parolas, cores giras, nada muito mimimi e baratinho! Gostei!E para a mãe também!
Espero que a qualidade salte do papel maché para a vida real...

sexta-feira, 23 de abril de 2010

Querias...


Eu que já ansiava pelo fim-de-semana cheio de Sol, pondo a postos os meus ténis para umas boas caminhadas na praia que desentorpecessem as minhas pernas e aliviassem as minhas dores ciáticas, daquelas mesmo no centro da nádega, zing!, afinal deparo-me com um céu carregadíssimo que promete trazer consigo muita chuva e mau tempo. Raios!

segunda-feira, 19 de abril de 2010

Scrapboxes

Que bela ideia para guardar as melhores memórias!
No site da Martha Stewart (eu amo o site da Martha Stewart de paixão, é um poço sem fundo de bom gosto e inspiração...) encontramos excelentes imagens de uma ideia emergente ou sucedânea dos scrapbooks, ou livros de recortes, onde ao lado de anotações e recolha de informações e inspiração sobre determinado assunto, como seja viagens, casamento, pinturas ou bricolage, se colam amostras de tecidos, fotografias ou papéis para ilustração dos mesmos. Trata-se de scrapboxes, ou seja, caixas onde se expõem as imagens lado a lado com os objectos que nelas estão representados e que marcaram uma ocasião ou etapa a assinalar. No IKEA o que não falta são porta retratos com profundidade de moldura, ainda por cima esta ideia fica barata!
Já estou muito entusiasmada com o que vou poder fazer com alguns objectos, bilhetes, recortes, memorabilia vária que tenho guardados em caixas ou jogadas pelos cantos e ainda o que poderei fazer com aquelas peças especiais do meu filho que vão ter de ficar para a posteridade, que boa ideia! Aqui fica a inspiração:Recordações de viagens...

De casamentos... Convite, ementa, até a tiara, caixa com ela!

Dos filhos...


Espero que o resultado valha um post!

sexta-feira, 16 de abril de 2010

O penteado

A premissa: aproveitar os meus longos cabelos castanhos e fazer um belo semi-apanhado à volta de uma singela tiara, com umas ondas, bem romântico, nada mais...
A inspiração:





O resultado final:



quinta-feira, 15 de abril de 2010

Dúvidas...


Já não estou no primeiro trimestre, aquele que pode ser e foi cheio de enjoos, mal-estar, mudanças de humor e todas essas coisas boas. Apesar de tremendamente boas, no fundo sempre sentia que, "Ok, eu posso não o sentir a pontapear, mas as minhas hormonas não mentem, eu estou grávida..."

Entretanto acho que já estou no segundo trimestre de pleno direito. Os enjoos foram-se, a minha silhueta mudou, mas a minha energia voltou ao normal.

No entanto, voltei eu toda tão ao meu normal que já nem me sinto grávida. E eu tenho que o dizer baixinho para não atrair más energias, mas tenho de o dizer para pôr cá para fora. É que a minha barriga não está maior de dia para dia, sinto que deu um salto há uma ou duas semanas, mas agora estabilizou e não me parece maior que na semana passada. Aliás, não tenho ganho peso nenhum, não tenho mais enjoos, já não me custa engolir o pequeno almoço, a fome continua visceral, mas suportável, não me sinto ressacada... Enfim, as minhas hormonas deram-me tréguas, mas eu sinto mais que me abandonaram, não me dão com o mal estar o sinal de que o meu corpo está a carburar por esta minha nobre causa.

Os livros dizem-me que o segundo trimestre é o máximo por causa da ausência de sintomas e reduzida barriga, que é o melhor período da gravidez, que há que aproveitar enquanto é tempo. Registado.

Mas ainda assim pergunto, só naquela, sem qualquer macaquinho na cabeça, sem ter de reprimir a vontade de ir num instante à minha médica pedir uma eco só para ouvir o coração, ora essa... Será tão normal que eu me sinta "não tão grávida como devia", ou sou uma freak da natureza, ou pior, isto não é assim tão normal como leio?

quarta-feira, 14 de abril de 2010

Uma Mamacita cheia de estilo

Esta nuestra hermana é uma senhora mãe cheia de estilo.
Temo bem que o My Daily Style se tenha tornado na minha cartilha de moda e a sua dona minha musa inspiradora em termos de estilo para mães on the go que não se deixam go down.
Os seus looks pessoais são muito bem construídos e inspiradores e os seus achados para os niños são impecáveis.
São tudo o que quero para o meu/minha rico/a Filho/a!

Há looks mais estilosos do que estes?

sexta-feira, 9 de abril de 2010

What happens after you say "I Do"?

Já não é um teaser, é um trailer! Só espero que este filme chegue a Portugal antes do babe chegar aos meus braços, pelos anjinhos dos céus!

quinta-feira, 8 de abril de 2010

Rico(a) Filho(a)!

Hoje foi dia de fazer a ecografia morfológica do primeiro trimestre e estava em pulgas para ver bem visto o responsável pelo alargamento da minha cintura e enjoos vários (felizmente idos)!
Fiquei maravilhada com o que se me apresentou, tão riquinho! E perfeitinho, pois todas as medidas e dados técnicos estão normais, o que me deixou muito descansada. Entretanto ainda falta saber o resultado do rastreio bioquímico, mas vê-lo e sabê-lo bem já foi para já mais do que o suficiente.
Ainda não sabemos se é menino ou menina, apesar de a médica ter visto uma protuberância algo suspeita... No entanto, imediatamente fechou-se em copas e negou-nos qualquer conclusão. Fica para a próxima!

Tão riquinho o meu filho! Vêde, que estas imagens não me deixam mentir:



Em 3 D! Delirei!

Para finalizar, a carinha do babe, de frente em 2D e de lado em 3D. Um pouco ET, mas lindo!

quarta-feira, 7 de abril de 2010

A Comidinha



Diz que estava tudo muito bom... Eu não sei, não consegui provar...





Mas esta parte eu provei e estava boa!


Creme de abóbora assada e amêndoas


Lombo de pescada sobre brandade de marisco,

aveludado de ervilhas e hortelã


Coxa de pato sobre batatinhas e chalotas confitadas,

courgetes e redução de vinho do porto


Carpaccio de ananás macerado em calda de menta

com gelado de côco

terça-feira, 6 de abril de 2010

As Maravilhas da Gravidez

Tenho quase 13 semanas de gravidez bem contadinhas. Supostamente o meu útero está do tamanho de uma toranja grande ou de um melão pequeno. Já faz mais sentido para mim que se note uma certa curvatura, anteriormente negada, apesar de já visível (diziam as más línguas...). Eu encolhia a barriga e parecia ver uns restos da minha anterior silhueta. Pensava alto com os meus botões que eu andava mais relaxada com a gravidez e barriga lisa perdida por mil a prazo, perdida por cem agora... No entanto, agora é inegável. O meu perfil está diferente.
O que me causa espanto, no entanto, não é o perfil, é a vista de frente. A minha cintura foi-se de vez. Eu da barriga que cresce para a frente sabia, da distensão dos músculos abdominais para sustentar o futuro mega útero desafiador da gravidade também, mas era mesmo preciso que a minha cintura desaparecesse tão cedo? Sem modéstia, a minha cintura era fina, não havia cá regueifas, nem gelatinas, nem pneus, nem tremuras. Apenas duas curvas e uma extensa planície quando muito levemente ondulada, no pico do Inverno, que não resistia a duas idas ao ginásio, uma doçura. Agora as curvas tornaram-se rectas, ganhei um monte alentejano, sem direito a vales e contracurvas. Agora o meu tronco é um bloco maciço que não percebeu que a única coisa que era suposto crescer (pelo menos para já) era do umbigo para baixo e para a frente, não dos lados e em toda a linha! Um saliente!

*EM DELÍRIO* Olha, é a maternidade, é o que faz de mim mulher, é o meu orgulho, mãe natureza a baixar em mim, eu sinto-a mesmo a respirar em cima da minha nuca, aqui mesmo, oh! *EM DELÍRIO*

Ao menos eu sei onde foram parar os quase dois quilos de peso que já ganhei, estão bem visíveis. Enquanto não forem parar ao rabo, ainda me considero com sorte, esse é que não precisava MESMO de ser importunado...
Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...